SOFRIMENTO

Vocês acreditam que vocês têm que sofrer, mas vocês não têm.

Vocês gritam: “Isto é o meu karma!” apesar de que vocês não precisam encarar como karma e sofrer. É a forma como vocês o vivem é que faz a diferença.

A alma está no plano terreno para se livrar de muitos erros do passado.
Se se olha para a mensagem positiva de cada situação, então não há sofrimento.

Deixem-me contar-lhes uma história.

Minha canalizadora, Margaret, era casada com um homem muito bom. Ela teve um bom casamento até que decidiu tornar-se espiritual. Seu marido não gostou disso e então tornou a vida difícil para ela. Ele não atendia ao telefone que era dela e era rude com os clientes dela ou os ignorava, tudo junto. Eles tinham um comércio juntos.

Então, em um dia, após muita contemplação, minha canalizadora concluiu que seu casamento não ia funcionar mais. Ela não podia desistir de seu caminho espiritual. Seus filhos haviam crescido e saído de casa e era hora de ela ir em frente com sua vida. Então ela deixou o casamento.

Através da intuição, nós colocamos o pensamento na consciência dela para que visitasse uma amiga que era muito intuitiva. Através dessa amiga nós a informamos que seu marido ia fazer uma última coisa a partir da raiva.

Meses depois, seu ex-marido foi até o comércio deles e retirou tudo de valor, enquanto minha canalizadora estava viajando, em outra cidade. Alguns dias depois, ele foi ao banco e tirou todo o dinheiro da conta deles. Minha canalizadora ficou sabendo disto através de seu gerente que foi até o negócio e o encontrou vazio. Dias depois ela foi ao banco para pegar dinheiro para pagar contas, e não havia mais nada.

Minha canalizadora ficou desolada.

Ela pensou consigo mesma: “Por que o mundo do Espírito não me ajudou?”

Ela estava brava conosco porque ela pensou que nós havíamos criado o sofrimento.
Não criamos.

Ela tinha a opção de ver isto como uma bênção ou como uma maldição.

Através de sua amiga nós lhe tínhamos dito, antes que seu ex-marido fizesse a última coisa a partir da raiva e que ela deveria ir embora e não olhar para trás.

Por muitos meses ela ficou brava conosco, apesar de nós não termos feito nada. Nós não podíamos impedir seu ex-marido de fazer o que ele fez, mas nós avisamos que isso iria ocorrer.

Relutantemente, minha canalizadora continuou em frente. Sem recursos, ela teve de pedir dinheiro emprestado para pagar suas contas, mas nós garantimos que um amigo estivesse ali perto para ajudá-la. Todo o dinheiro que ela precisava estava lá. E seu amigo garantiu à minha canalizadora que ela não se importasse caso não devolvesse.

Quando seu ex-marido a processou por causa do carro que ela tinha, ela viu que ele nunca a deixaria em paz, e então tomou a decisão de ir para o exterior durante algum tempo. Foi o dia mais triste da vida dela, quando ela tomou a decisão, porque ela não queria partir. Ela não tinha nada. Seu novo parceiro nos negócios, (seu futuro marido) pagou pelas passagens, porque ela não podia pagar.

Antes do caso da loja, ela havia dado para o ex-marido toda a mobília, pois ela não iria precisar devido às suas viagens, e ele precisava. Ela não tinha mais nada.

Isto, para ela, realmente foi sofrimento.
Entretanto, ela tinha fé de que havia uma razão para o que aconteceu.

Um ano depois, minha canalizadora tornou-se uma clarividente de sucesso de uma rádio e de uma revista, neste novo país, e estava ganhando muito mais do que ganhava com a loja; ela teve muito sucesso. Tudo o que ela havia perdido foi recuperado em dois anos terrenos e da experiência dela com o ex-marido, ela aprendeu muitas lições. A lição mais importante foi ir embora e não olhar para trás, ir em frente e não voltar para trás.

O futuro é sempre melhor do que o passado – se a humanidade pudesse ver isso.
Mas normalmente não pode.

Ela se prende ao que tem, com medo de deixar ir, não confiando que o Universo irá corrigir o errado.

Deixar ir o passado é o único modo de avançar para a Luz.

Com um ano de sua partida, minha canalizadora telefonou ao seu ex-marido e lhe agradeceu pelo que ele tinha feito. Ela pôde finalmente ver que, se ela tivesse ficado do jeito que ela estava, ela ainda estaria lá – estática, como minha canalizadora diz – “se arrastando”. E, ao contrário, ela foi tão bem sucedida.

Vocês tanto podem ver as situações que ocorrem a vocês como experiências positivas para aprender, ou chafurdar em dó por si mesmo. A escolha é sua.

Você escolhe “sofrer” ou não.

Da próxima vez que algo ruim lhes acontecer, lembrem-se de que nada acontece sem significar um progresso na sua vida e uma ajuda para que vocês avancem.

Vocês só precisam ter fé de que existe, como vocês dizem no plano terreno, um quadro maior e mais brilhante.

Maitreya

Anúncios